UJS em São Paulo oficializa apoio a Padilha

A União da Juventude Socialista recebe o pré-candidato ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha com muita energia, intervenções culturais e composição musical. O ato político é composto por diversas personalidades políticas e dos movimentos sociais.

IMG_0537

 

Por Eder Bruno, no blog Nossa Cara SP (UJS /SP)

 

Neste sábado, último dia do 17º Congresso Estadual da União da Juventude Socialista de São Paulo, realizado no município de Jundiaí, o ato político com a presença do pré-candidato a governador do estado mais rico do país se caracterizou pela energia com a qual a maior entidade de juventude política organizada o recebeu. Diversas lideranças dos Movimentos Sociais participaram do ato.

O Congresso também desfrutou das ilustres presenças de Orlando Silva, presidente estadual do PCdoB de São Paulo, os deputados federais pelo PCdoB, Protógenes Queiroz e Gustavo Petta; a deputada estadual também pelo PCdoB, Leci Brandão, além da presidente das entidades estudantis: Virginia Barros (UNE), Barbara Melo (UBES), Carina Vitral (UEE-SP), Vice-presidente da UJS Nacional, Renan Alencar (Macaxeira), agora eleita presidenta da UJS-SP, Renata Rosa, e coordenado pelo saudoso ex-presidente da UJS, Carlos Siqueira.

O vice-presidente da UJS Nacional, Renan Alencar (Macaxeira), reforçou o apoio da entidade a campanha de Padilha reafirmando a garra de uma militância transformadora, “Sei que você já encontrou muita gente boa da UJS por onde sua caravana passou e conte conosco, porque essa turma, como diz nosso grito de ordem: é pra matar e pra morrer e quando a gente fecha, estamos juntos. E você foi testemunha que em momentos difíceis de mudanças de transformação da política do nosso país houve uma galera que foi pra rua e enfrentou de peito aberto, de cara limpa todos os problemas e dificuldades. Sei que nessa jornada que será com certeza vitoriosa, a luta será duríssima, mas nossa vitória é certa  e pode contar com essa aguerrida militância da UJS em cada do estado de São Paulo, para colocar esse estado nos rumos da transformação que o Brasil já vive há 12  e que o estado de São Paulo vai entrar elegendo Alexandra Padilha para ocupar um lugar de destaque no Palácio dos Bandeirantes”, finalizou.

A Presidenta da UJS eleita neste congresso, Renata Rosa, afirmou o protagonismo da Juventude neste período eleitoral que virá, não apenas por ser a maior parcela da população, mas pela capacidade de influência no meio familiar, “Tem uma galera que anda dizendo pra juventude que política é ruim, que não deveria participar, a mídia tem jogado muito contra a política, mas nós estamos dispostos a ir para as ruas disputar o pensamento e as ideias desses jovens que deseja participar, se manifestar e mudar as coisas, por isso que a UJS com toda essa energia e irreverência tem convicção de que não vai ter Alckmin, porque vamos entrar neste congresso, com a mesma força e garra que a gente entra para ganhar o congresso da UNE e da UBES”

Em sua fala Alexandre Padilha, começou afirmando que ficou muito animado quando a Renata Rosa falou que a UJS vai com a mesma garra para campanha como vai para ganhar os congressos da UNE e da UBES.  “Eu e o Orlando Silva somos bastante experiente, da mesma geração e eu perdi  muito congresso da UNE para o Orlando porque era da Juventude do PT e o Orlando já tinha essa máquina da UJS com essa garra toda, então fiquei animado com isso”.

Padilha ainda ressaltou a importância do estado de São Paulo, não só para nós paulistas, mas para todo o Brasil a importância de afirmar e caminhar com a juventude pela transformação do estado de São Paulo, “Sabemos a responsabilidade que temos na preparação do programa de governo para o estado de São Paulo e sabemos também da responsabilidade que temos com vocês e tendo uma história no movimento de juventude e sendo o pré-candidato mais novo a disputar o estado mais rico do país eu tenho a responsabilidade com a geração da juventude, para mostrar que nós temos competência, compromisso e capacidade para mudar São Paulo” destacou o pré-candidato.

 

Carta do Socializando

A UJS-SP reunida na cidade de São Paulo para o seu Encontro Socializando prepara o espírito de luta da militância para as batalhas de 2014, ano que terá a Copa do mundo, o congresso da UJS e as eleições presidenciais como grandes desafios.

Vivemos no Brasil um ciclo vitorioso de mudanças na vida do povo brasileiro e em especial da juventude, marcado pela elevação da renda das famílias e pelas conquistas de direitos sociais, como a ampliação do acesso à universidade, a expansão das escolas técnicas e a aprovação do estatuto da juventude. Essas conquistas são fruto da luta dos movimentos sociais que souberam aproveitar a oportunidade da chegada do campo democrático-popular no governo e conquistaram mais direitos.
 
Mas a juventude quer muito mais! O Brasil precisa de mais desenvolvimento, para conquistar sua independência tecnológica e produzir riqueza para o povo. Precisa de mais progresso social, com distribuição de renda e integração nacional. Precisa aprofundar sua democracia, valorizando a participação popular e renovando as esperanças do povo nas transformações sociais. Para isso, é preciso colocar na ordem do dia as reformas democráticas como a Reforma política, dos meios de comunicação, urbana, tributária, agrária e da educação.
 
Aprofundar as mudanças é preciso, e isso só será possível se São Paulo entrar na rota das mudanças. Enquanto o Brasil vive bons ventos das conquistas sociais, São Paulo segue sendo o símbolo do atraso, onde o neoliberalismo encontra suas raízes há mais de 20 anos com os governos do PSDB. Isso significa na educação básica o sucateamento da escola pública, com aprovação automática, falta de estrutura e qualidade, fazendo com que as escolas se pareçam mais a presídios do que ambientes de aprendizagem. No ensino superior, a privatização e a exclusão é a marca em São Paulo, onde 86% da juventude tem que estudar em universidades privadas, enquanto as universidades públicas se reservam somente às elites. No transporte, a priorização do transporte individual e a exclusividade dos investimentos das rodovias privatizadas, gera pedágios abusivos, ineficiência e caos urbano.
 
Na segurança, a polícia militar extermina a juventude negra e de periferia e reprime os movimentos sociais. Esses são alguns exemplos da direção dos tucanos para o governo do estado de São Paulo que precisa ser interrompida.
 
É na ruas, como fizemos em junho, que vamos arrancar os tucanos do Palácio dos Bandeirantes e conquistar o Brasil dos nossos sonhos, por isso a UJS convoca a sua militância para construir em unidade com os movimentos sociais uma grande Jornada de Lutas em São Paulo. Vamos parar as escolas, as universidades e as principais avenidas do nosso estado para avançar nas mudanças necessárias.
 
A UJS lança também o seu congresso estadual, que será o maior de todos os tempos, mobilizando 60 mil jovens para se filiarem à UJS.  É preciso dialogar de forma ampla, irreverente e combativa com o sentimento da juventude de participação política demonstrado nas manifestações de junho, e assim apresentar a nossa organização para milhares de jovens em São Paulo.
 
Para isso, o movimento estudantil tem papel primordial, pois é através dele que falamos para milhares de jovens, organizando nos grêmios estudantis e centros acadêmicos muitas lideranças. Mas também é preciso ressaltar a importância das outras frentes de atuação da UJS, que diversificam a nossa atuação tornando-a cada vez mais jovem e popular como a frente do Hip-Hop, LGBT, Cultura e jovens trabalhadores. Destaca-se a isso uma frente estratégica para a UJS que é a frente de mulheres, que têm ganhado relevância na nossa organização e deve ter a atenção da nossa militância.
 
Os desafios são grandes, mas não maiores que os nossos sonhos e a nossa disposição de lutar. Por isso, convidamos toda a juventude paulista para vir com a UJS, declarando guerra aos tucanos para mudar São Paulo e conquistar o Brasil que a gente quer.
 
Declare guerra a quem finge te amar!
 
São Paulo, 16 de fevereiro de 2014.
 
 
 
No Blog Nossa Cara SP (UJS São Paulo)

UJS-SP: rumo aos 60 mil filiados

Plenaria SP _Padilha carlão

A preparação para o 17° Congresso da UJS está a todo vapor. No último final de semana, 8 plenárias estaduais aconteceram em todo o Brasil, ano em que a organização comemora seus 30 anos de história e encara o desafio de mobilizar meio milhão de jovens em todo país. André Tokarski, presidente nacional da União da Juventude Socialista, declarou que essa força estará direcionada para impulsionar a mobilização da juventude em defesa de um novo ciclo político de lutas e vitorias, com a juventude nas ruas na 2° Jornada Nacional de Lutas pelas reformas democráticas, com a conquista do hexa na Copa do Mundo e a reeleição da presidenta Dilma.

“É hora do Brasil avançar, romper com as pressões nefastas que o capital financeiro faz para subjugar nossa economia. O país precisa inaugurar um novo ciclo de desenvolvimento econômico e de promoção integral dos direitos sociais. E é tratando das pautas mais essenciais que vamos conseguir reunir um grande bloco de forças progressistas e de esquerda para renovar as esperanças e inaugurar um novo ciclo de mais democracia e desenvolvimento”, conclui o presidente.

Para Carlos Eduardo Siqueira, presidente da UJS São Paulo, o espaço foi excelente, todas as regiões do estado comparecem com mais de 200 dirigentes da organização. “Os debates foram bem politizados, e o encontro com o ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha, foi o mais interessante para que pudéssemos pautar a luta política da juventude do estado e falar dos desafios do estado de São Paulo”.

Na Roda Viva da UJS –SP, Alexandre Padilha debateu com a militância, de forma descontraída e politizada, pautas como mobilidade urbana, o Trensalão Tucano, Mais Médicos, política de juventude, violência, Polícia Militar, diálogos com os movimentos sociais e reformas democráticas.

O vice-presidente nacional da UJS, Renan Alencar, levantou a importância de mudança na política econômica para que haja ampliação na capacidade de investimento em educação, saúde, transporte e geração de empregos.

“Parece que o atual governador está com a pilha fraca, não tem capacidade de liderar as mudanças e os desafios que São Paulo tem a enfrentar”, declarou Padilha durante o a atividade com a juventude paulista.

Carlos Eduardo Siqueira finaliza: “terminamos o 5° Socializando e a Plenária estadual com a militância paulista animada com a meta dos 60 mil filiados! Uma UJS grande para enfrentar os desafios de um novo tempo para o Estado de São Paulo. O lema do 16° Congresso Estadual diz muito sobre o que desejamos: declare guerra a quem finge te amar. É tarefa da nossa geração derrotar os tucanos neoliberais, é preciso unidade para enfrentar o inimigo principal”.

Acesse também:

Meio milhão de jovens socialistas! Rumo ao 17° Congresso da UJS

A UJS que copa, saúde e educação!

 

Por Natalia Padalko, no site da UJS.